segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A Espera


Subíamos a colina de mão dada, entrelaçando as pontas soltas que pendiam do novelo das nossas vidas. Pensávamos, a medo, num futuro incerto que parecia esperar-nos no sol, no cume da pequena colina. Sol esse que nos espreitava e julgava. Brilhava e parecia sorrir ao nosso mundo. Reluzia e cegava os nossos sonhos. E tu nem parecias notar.
Tentávamos fugir das malditas entranhas de um presente chuvoso e sombrio, que parecia ser eterno. Caíamos algumas vezes e sangrávamos outras tantas. Depois levantávamo-nos e seguíamos caminho.
Dia após dia, corríamos na direcção do destino que nos encantava e assombrava.

Hoje, adormeço com a tua mão na minha, com medo das memórias de décadas passadas. Adormeço e sonho com a felicidade que nos abraçou. E quando o sonho acaba e a luz quente das manhãs me tira do descanso, o toque doce do teu beijo colide delicadamente com a minha face oca e ambos sorrimos, como duas crianças a quem a vida não teve a coragem de arruinar a inocência.

3 comentários:

Anónimo disse...

5*

Rose disse...

E assim deve ser ^^

'What is meant to be, is meant to be.'

Anónimo disse...

Entao o sonho continua, porque a felicidade continua la. O Amor vence tudo !

Gosto bastante da tua forma de escrever xD Continua ...